27.2 C
Lisboa
Sexta-feira, Maio 20, 2022

Experimento de ‘rejuvenescimento’ celular em camundongos reverte sinais de envelhecimento, dizem cientistas

Must read


Com a idade vem a experiência. E com a experiência vêm dores nas costas, ossos cansados ​​e riscos aumentados de um grande número de doenças.

Os cientistas há muito tentam descobrir como parar essas dores em nossos anos crepusculares e nos fazer viver vidas mais longas e saudáveis ​​ao mesmo tempo.

Embora esteja muito longe de estar pronto para humanos, um novo estudo investigando a ‘reprogramação parcial’ de longo prazo de células em camundongos parece ter produzido alguns resultados muito intrigantes.

“Estamos entusiasmados por podermos usar essa abordagem ao longo da vida para retardar o envelhecimento em animais normais”, disse. diz autor sênior e Biólogo do desenvolvimento do Salk Institute Juan Carlos Izpisua Belmonte. “A técnica é segura e eficaz em camundongos.”

A equipe descobriu que os tecidos do rim e da pele dos camundongos foram “rejuvenescidos” – o que significa que as expressões de genes que causam inflamação, morte celular e resposta ao estresse foram reduzidas nos animais tratados. A pele conseguiu até proliferar mais e cicatrizar menos – o contrário do que costuma acontecer na velhice.

Além disso, os relógios epigenéticos dos animais – uma medida dos padrões dos níveis de metilação do DNA atribuídos ao envelhecimento – pareciam estar atrasados.

“Além de combater doenças relacionadas à idade, essa abordagem pode fornecer à comunidade biomédica uma nova ferramenta para restaurar a saúde dos tecidos e do organismo, melhorando a função e a resiliência das células em diferentes situações de doenças, como doenças neurodegenerativas”, Izpisua Belmonte diz.

Isso ainda está muito longe, pois esta pesquisa só foi realizada em camundongos até agora, mas o tratamento parece ser seguro e eficaz a longo prazo e poderia – hipoteticamente falando – um dia ajudar os humanos a evitar algumas das piores partes do envelhecimento, se os efeitos puderem de fato ser replicados nas pessoas.

No estudo, os pesquisadores experimentaram quatro proteínas conhecidas que regulam a expressão do DNA – 4 de outubro, Sox2Klf4 e c-Myc – conhecidos coletivamente como “fatores Yamanaka” após o homem que foi pioneiro na técnica em células-tronco.

Embora esta técnica possa ser usada para transformar células adultas de volta em células-troncoa equipe atual já havia mostrado também pode ser usado para ‘reprogramar parcialmente’ as células, revertendo-as para um estado mais jovem, mas não se tornando completamente uma célula-tronco novamente.

Se a mesma coisa fosse feita com células suficientes no corpo de um animal, isso poderia fazer com que o relógio biológico de todo o organismo parecesse mais jovem.

Com isso já conhecido, os pesquisadores queriam ver o que aconteceria com esses camundongos quando os fatores Yamanaka fossem aplicados a longo prazo.

Na nova pesquisa, os fatores foram usados ​​de três maneiras diferentes. O primeiro ensaio foi curto: um grupo foi tratado com os fatores por um mês quando tinha 25 meses de idade (equivalente a cerca de 80 anos em humanos).

O segundo e terceiro grupos tiveram tratamentos de longo prazo. Um recebeu doses regulares de 15 a 22 meses (equivalente a idades de 50 a 70 em humanos) e o outro recebeu doses regulares de 12 a 22 meses (idade de 35 a 70 em humanos).

Os camundongos tratados por apenas um mês não mostraram nenhuma das qualidades de reversão da idade, mas os dois grupos de tratamento mais longos mostraram sinais de rejuvenescimento sem aumento do risco de Câncer ou outros problemas de saúde.

“No geral, este estudo fornece pistas provocativas de que a reprogramação parcial de longo prazo é promissora como uma intervenção que pode restaurar e rejuvenescer as funções de alguns tecidos”, os pesquisadores Arianna Markel e George Q. Daley, do Boston Children’s Hospital, que não estavam envolvidos no o estudo, explicar em um comentário que acompanha a pesquisa.

“É especialmente notável que a reprogramação parcial elicia com sucesso mudanças transcriptômicas, metabolômicas e lipidômicas e altera o relógio epigenético.

Embora o método provavelmente esteja a muitos anos de fornecer uma ‘fonte da juventude’ humana, ainda é um desenvolvimento empolgante na ciência antienvelhecimento e que pode ajudar a aliviar a dor e os danos de envelhecer um dia.

A pesquisa foi publicada em Envelhecimento da Natureza.



Fonte original deste artigo

- Advertisement -spot_img

More articles

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

- Advertisement -spot_img

Latest article