22.5 C
Lisboa
Sábado, Julho 2, 2022

Tom Holland não pode salvar filme de videogame sem alegria e sem graça

Must read


O que talvez seja mais desanimador é que Uncharted, que deveria ser sobre Nathan Drake, não parece muito interessado nele.

Baseado na franquia de videogames, Desconhecido tem todos os ingredientes de uma adaptação divertida e divertida, mas a receita não mistura tudo bem o suficiente. Adaptações cinematográficas de videogames não têm a melhor história, embora existam algumas exceções. Desconhecido, no entanto, infelizmente não é um deles. Dirigido por Ruben Fleischer a partir de um roteiro de Rafe Judkins, Art Marcum e Matt Holloway, Desconhecido é sem alegria e tem pouca ou nenhuma personalidade.

Nathan “Nate” Drake (Tom Holland) é um barman em Nova York que rouba coisas pequenas, mas caras dos clientes sem que eles percebam. Seus dias servindo álcool terminam quando Victor “Sully” Sullivan (Mark Wahlberg) aparece uma noite pedindo a Nate que se junte a ele para encontrar o tesouro perdido de Magalhães. Nate só concorda em ajudar porque Sully – e, mais tarde, a caçadora de tesouros Chloe Frazer (Sophia Ali) – afirma conhecer seu irmão mais velho Sam, que deixou o orfanato 15 anos antes e só se comunica com Nate por meio de cartões postais. Claro, Nate e Sully não são os únicos atrás do tesouro, com Santiago Moncada (Antonio Banderas), cuja família financiou Magalhães e que acredita que o tesouro é dele por direito, e seu sócio Jo Braddock (Tati Gabrielle) também está procurando por ele. .

Relacionado: Uncharted tem cena pós-créditos?

Desconhecido não é sem seus méritos. Há algumas cenas cheias de emoção e há muita tensão entre todos os personagens – todos com muitos problemas de confiança – o que torna suas interações um tanto dinâmicas e interessantes. No entanto, também é a falta de confiança geral e os personagens constantemente tentando se superar que se tornam um pouco tediosos. Também não há muito charme embutido no filme e os momentos mais alegres caem por terra, com apenas Wahlberg entregando algumas linhas que são comicamente oportunas. (Embora o filme, de maneira frustrante, ilumine o fato de que Sully saqueou o museu de Bagdá e está completamente encoberto.)


O filme começa em uma cena de ação, que inclui um segundo ou dois em que a perspectiva é distintamente em primeira pessoa para refletir um videogame, mas não é atraente o suficiente para atrair espectadores. Uma sequência de ação em particular é memorável, mas as restantes carecem de uma sensação de brio; mesmo as pistas são muito rápidas para resolver. O que talvez seja mais desanimador é que Desconhecido, que deveria ser sobre Nathan Drake, não parece muito investido nele. Tudo o que acontece no filme está mais ligado ao Sully de Wahlberg do que a Nate e até os personagens, incluindo Chloe e Braddock, têm uma ligação direta com o passado de Sully, tanto que Nate é um tanto marginalizado em sua própria história.


Holland está bem no papel, mas a questão é que o filme não parece entender quem Nate Drake é como pessoa, mesmo em seus primeiros dias, e isso arrasta a história. O filme poderia ter sido sobre qualquer um com a forma como Nate é escrito e isso não faz um personagem completo cuja presença e caracterização no Desconhecido jogos é forte. Wahlberg como Sully tem muito mais carisma do que Holland como Nate, mas eles jogam bem um com o outro quando compartilham a tela. Para tanto, Desconhecido funciona como uma aventura de amigos e não como uma adaptação genuinamente boa dos próprios jogos. Banderas é bom como o antagonista Santiago, embora não tenha tempo suficiente para brilhar, e Gabrielle entrega em sua atuação. Crucialmente, são suas expressões faciais que mostram algo mais profundo, onde o roteiro fino deixa muito a desejar.


Visualmente, Desconhecido é esquecível. Alguns dos diálogos – como Chloe e Nate dizendo “água” como se o público não pudesse ver que a água está, de fato, subindo – é desajeitado e desnecessário. Ainda outra cena mostra Sully dizendo a Nate (mas na verdade, ele está dizendo ao público) que ele está pegando sentimentos por Chloe, mas suas cenas e química não refletem essa afirmação. A respeito disso, Desconhecido está mais preocupado em contar do que em mostrar, o que enfraquece consideravelmente a narrativa. O filme segue uma estrutura semelhante à Indiana Jones e até mesmo Tesouro Nacional; também tira de Tomb Raider entre outros, mas falta uma faísca distinta. Certamente não tem a mesma sensação de alegria ou vida que os jogos têm, senão o filme teria sido melhor.


Nate Drake não precisava de uma história de origem e quando Desconhecido se inclina para os aspectos de aventura, é fácil ver que tipo de filme poderia ter sido se tivesse acabado de entrar. Há momentos divertidos e uma história interessante o suficiente, com certeza, mas a execução é bastante sem graça e sem energia. Quando Nate descobre qual é a próxima pista, a emoção da jornada é subjugada. Os espectadores descobrirão que Desconhecido funciona muito como o velho isqueiro que Nate carrega – ele pisca e queima intensamente por um segundo antes de se apagar, as chamas são muito poucas e distantes entre si para terem qualquer significado.

Desconhecido estreia nos cinemas na noite de 17 de fevereiro de 2022. O filme tem 116 minutos e é classificado como PG-13 por violência/ação e linguagem.

Nossa Avaliação:

2 de 5 (ok)

  • Inexplorado (2022)Data de lançamento: 18 de fevereiro de 2022






Fonte Original deste Artigo

- Advertisement -spot_img

More articles

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

- Advertisement -spot_img

Latest article