18.3 C
Lisboa
Quarta-feira, Julho 6, 2022

Desenvolvedores de Final Fantasy 14 revelam o que torna os pequenos momentos de Endwalker tão especiais

Must read


Colocando nossos heróis, os Scions of the Seventh Dawn, contra um apocalipse chamado The Final Days, não é surpresa que Final Fantasy 14: Endwalker é um jogo de grande escala.

Atuando como o capítulo final do arco da história Hydaelyn-Zodiark que está em andamento desde A Realm Reborn lançado em 2013, teve que amarrar nove anos de tramas e ver você galante em todo o mundo, pular para um passeio ao redor da lua e depois atirar em você para o espaço. Ah, e existem vários deuses para matar para uma boa medida. Mas não são as batalhas épicas ou apostas altas que fazem com que Endwalker valha a pena jogar, são os pequenos momentos – os abraços entre entes queridos e pequenos sorrisos de velhos amigos que realmente o tornam especial.

“No final das contas, não importa quão grandiosa uma certa história possa ser, são as vidas individuais das pessoas que formam esses fios da história”, disse Natsuko Ishikawa, designer principal de histórias, ao VG247 em uma entrevista recente.

Endwalker está cheio de grandes momentos como batalhar em masmorras cheias de abominações e um céu cheio de fogo, mas a cena que mais me marca é um abraço entre um dos Scions, Urianger, e a mãe de sua melhor amiga, Moenbryda, que deu sua vida por sua causa em A Realm Reborn.

É um arrependimento que ele carregou com ele por anos e foi incapaz de enfrentar seus pais por causa disso. Ao longo de várias expansões, ele fez uma breve menção estranha e um olhar triste – mas em Endwalker ele finalmente é forçado a enfrentar seu maior medo.


Como Guerreiros da Luz, viajamos ao lado de Urianger há anos, então no momento em que ele finalmente encontra os pais de Moenbryda, pude sentir minha respiração travar na garganta com a tensão.

Mas logo sua mãe o puxa em seus braços e o corpo de Urianger, rígido com o choque, logo se derrete em alívio e tristeza enquanto eles compartilham lágrimas. É um momento tão pequeno, mas a ternura íntima dele é um companheiro tão bonito para a grande aventura que o jogo nos leva.

“Quando Urianger dos Scions of the Seventh Dawn chora ao receber um abraço da mãe de seu amigo próximo – acredito que encontrar tais eventos e entrar em contato com cada uma das vidas que compõem essa história é o que significa ‘viver nesse mundo’”, diz Ishikawa.

Ou seja: ao nos mostrar esses pequenos momentos entre os personagens, dá contexto para o que estamos lutando e o que podemos perder.


Logo antes do Guerreiro da Luz e os Scions fazerem seu último empurrão para enfrentar Meteion na extremidade do espaço, eles param para saborear uma última noite juntos. Você se senta e toma uma bebida ao lado de Y’shtola, Urianger e Thancred enquanto eles refletem sobre como o tempo os mudou e sua visão da vida. Nada realmente acontece, não há grandes revelações, mas esse é o ponto.

Nesse momento seus companheiros baixam a guarda e passam a ser apenas seus amigos, e de repente você percebe que esta é o que você está a perder. O mundo é um lugar enorme cheio de milhões de pessoas que vão morrer se você falhar, mas é essa pequena bebida com seus amigos que faz você realmente sentir esse peso. Este pequeno momento mostra o quão reais esses personagens e suas vidas são para você. Mesmo diante do desespero, eles estão ao seu lado.

Endwalker pode conter algumas das maiores reviravoltas e perigos que já vimos em Final Fantasy 14 até hoje, mas são os momentos de silêncio que realmente o fazem.

Esperamos que pequenos momentos como este preparem o cenário para o que Yoshi-P, Ishikawa e o resto da equipe de desenvolvimento estão preparando para o futuro do MMO favorito do mundo.

Você pode conferir nossa entrevista completa com Naoki Yoshida e Natsuko Ishikawa em nossa grande entrevista Final Fantasy 14: Endwalker no link.





Fonte deste Artigo

- Advertisement -spot_img

More articles

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

- Advertisement -spot_img

Latest article